header teatro

Continuar o campo da reflexão sobre a criação contemporânea nas artes do espectáculo e alargar a oferta; privilegiar a produção actual nas suas variantes artísticas, numa perspectiva de contextualização ampla do corpo no trabalho artístico em apresentação, de forma a maximizar um intuito pedagógico e informativo para com o público; programar em Sintra criadores portugueses consagrados ou criar condições de visibilidade para outros em processo de revelação e também criadores internacionais desconhecidos ou pouco divulgados. O TranS_SintrA resulta da experiência acumulada na realização das "4 estaçôes - mostra de dança contemporânea de sintra",(que terminou em 2008) e dos "Sons de JuNLho", encontro de música urbana que continuamos a realizar intermitentemente.

 

 

2010

susan alcornSUSAN ALCOM + MANUEL MOTA

Reconhecida mundialmente como uma das grandes artistas da guitarra pedal steel, Susan Alcorn é figura incontornável da improvisação tolerante, livre e melodicamente afirmativa. Rodada durante décadas em bandas do country & western mais sério, foi em correspondência com Paul Bley que entendeu como poderia começar a encontrar uma linguagem mais aberta neste instrumento normalmente circunscrito à música sulista norte-americana.

michael hurleyMICHAEL HURLEY

Estreia nacional numa das hoje em dia raríssimas aparições europeias para Michael Hurley, sem tirar nem pôr um dos grandes da história da canção norte-americana, e prova viva de como a música é tão mais bela quando é indissociável de todo o resto das nossas acções. Verdadeiro trovador que segue a América de uma ponta a outra a tocar em cada bar e capela que o queira receber, vem desde os anos 60 criando contributos preciosíssimos para o songbook anglo-saxónico, que continua a moldar de forma definitiva e cada vez mais singular a cada dia que passa. É influência mais que assumida para luminárias da canção contemporânea como Cat Power (que já fez versões das suas lendárias “Werewolf”, “Sweedeedee” ou “Troubled Waters), Devendra Banhart ou Andy Cabic.

joao galante ana borralhoANA BORRALHO / JOÃO GALANTE
Untitled, Still Life

Conceito: Ana Borralho, João Galante e Rui Catalão Direcção Artística: Ana Borralho & João Galante Dramaturgia: Rui Catalão Co-criação: Ana Borralho, Cláudio da Silva, João Galante, Rui Catalão, Yingmei Duan Colaboradores: Antonia Buresi, Francisca Santos, Maria Lemos, Mónica Samões, Yann Gibert Dispositivo cénico: Ana Borralho, João Galante, Rui Catalão Som: João Galante Produção executiva: Ana Borralho, Mónica Samões Ana Galante / João Galante

teatro vestidoTEATRO DO VESTIDO
Porque na Noite Terrena Sou Mais Fiel Que Um Cão

A partir do universo de Margaret Atwood, Elizabeth Bishop e Marina Tsvietaieva. Neste projecto, cada actriz teve como proposta que a sua criação assentasse no universo de cada uma das autoras (por universo entenda-se uma perspectiva abrangente sobre a vida e a obra das mesmas). O resultado são três vozes que se cruzam na procura de uma humanidade comum, de uma resposta comum para uma mesma pergunta: afinal, para quê tudo isto, de estar agora, aqui, precisamente aqui, contigo?