Rei Ubu

Autor: Alfred Jarry

Encenação: Nuno Correia Pinto

Data de Estreia: 15 de Maio (Reposição)

 

SINOPSE

A peça de Alfred Jarry marcou o início de uma série de discussões que desencadearam uma verdadeira transformação no teatro. Um espectáculo com actores, marionetas e músicos ao vivo, centrado na personalidade de Ubu e no jogo do poder. A estória passa-se na Polónia, “reino em parte nenhuma”. Ubu, personagem misto de grotesco e cómico, provoca um regicídio e usurpa o trono, exercendo o poder de forma brutal e sanguinária, até o “Direito”, por Direito, repor a ordem.

 

 

 

SOBRE O ESPECTÁCULO

Apesar de partir de um texto escrito á mais de cem anos, este espectáculo “fala-nos” de assuntos que continuam actuais: O jogo para se alcançar o poder; o poder sem limites, a violência, a sobreposição da vontade de um(ns) aos direitos e liberdades do colectivo ou individuais; o mau absoluto, o irreal… Mas “fala-nos” também da honra, da coragem, da luta persistente por aquilo que vale a pena lutar. Em fim, faz-nos reflectir o humano.

Sabendo que a proposta de Rei Ubu que o Alfred Jarry fez é “à frente do seu tempo” e sem ter a pretensão de mostrar essa mesma proposta, quis fazer este espectáculo com a premissa de ser intemporal mas ao mesmo tempo que espectador possa respirar um pouco o espírito desse tempo. Assim, influenciado pelas traduções portuguesas e com a influência dos movimentos que viram no Rei Ubu fonte de inspiração no princípio do século XX, mesclamos o trágico com o cómico, o sério como o grotesco, como forma não tanto de apresentar a estória mas de mostrar o caricato e o grotesco dessa mesma estória.

Este espectáculo mostra-nos um Ubu como uma personagem sinistra mas ao mesmo tempo cómica não escondendo as semelhanças com a personalidade do anti-herói Punch, que nos diverte tanto. Por isso espero que o público possa ver este espectáculo com o mesmo espírito que as crianças vêem o Mr. Punch, pois o prazer no teatro e o prazer na brincadeira requerem uma autenticidade muitas vezes perdida no quotidiano adulto.

Nuno Correia Pinto

 

FICHA DO ESPECTÁCULO

Autor: Alfred Jarry; Tradução: Jorge Espírito Santo; Adaptação: Manuel Sanches e Nuno Correia Pinto; Encenação: Nuno Correia Pinto; Interpretação: Nuno Correia Pinto, Nuno Machado e Regina Gaspar; Direcção e Produção Musical: Lito Pedreira; Músicos: Lito Pedreira e Hildebrando Silva; Cenografia: Nuno Correia Pinto; Figurinos: Jorge Cerqueira; Marionetas: Jorge Cerqueira; Desenho de Luz: André Rabaça; Fotografia e Imagem Gráfica: André Rabaça; Direcção de Produção: Nuno Correia Pinto; Assistência de Produção: Claudia Alves e Nuno Machado; Secretariado de Direcção e Produção: Cristina Costa; Assistência Geral: Luiz Quaresma; Direcção Técnica: André Rabaça; Montagem: André Rabaça e Luiz Quaresma; Serralharia: Jorge Coelho